PORTO ALEGRE: Av. Borges de Medeiros, nº 328 / 5º andar

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

Por Patrícia Peltz

Advogada Previdenciária

30/09/2021

Contribuição junto ao INSS: por onde (e como) começar?

Por Patrícia Peltz | 30/09/2021

Dúvidas sobre a contribuição junto ao INSS são extremamente comuns e, a princípio, para contribuir basta emitir a Guia da Previdência Social no site do INSS ou comprar um daqueles carnês disponíveis em qualquer papelaria e começar a pagá-lo todo mês.

Geralmente, o prazo para essas contribuições é até o dia 15 do mês. Para que essa contribuição represente o recolhimento do mês anterior.

Por outro lado, existem questões técnicas que precisam ser levadas em consideração como, por exemplo, qual o valor adequado dessa contribuição. Vamos juntos aprender mais?

Quero contribuir com o INSS, mas quais informações devem ser incluídas nas guias de recolhimento?

  • NIT (Número de Inscrição do Trabalhador) ou o PIS: são códigos que identificam e comprovam que a identificação está sendo feita por você, assim, é um dado indispensável.
  • Código de contribuição: é determinado de acordo com cada tipo de segurado (individual ou facultativo) e isso pode gerar alguns problemas. Te contamos um pouco mais sobre as diferentes modalidades bem como a aplicação correta dos códigos.

Contribuinte Individual ou Contribuinte Facultativo: em qual modalidade você se encaixa?

Aquele que paga a Guia do INSS pode se enquadrar em qualquer uma dessas duas categorias.

contribuinte individual é aquele que exerce alguma atividade remunerada. Podendo ser o profissional liberal, o prestador de serviços, o empresário, o trabalhador rural e até mesmo o microempreendedor, que neste caso verte a contribuição através do pagamento da DAS. Visto que a contribuição para a Autarquia é indispensável, esta é uma modalidade obrigatória de contribuição.

Já o contribuinte facultativo é aquele que não exerce atividade remunerada, não sendo, portanto, contribuinte obrigatório. Nessa categoria entram os donos de casa, estagiários, pessoas que vivem fora do país e desejam manter o seguro da previdência social, entre outros.

Contribuinte individual: descubra qual o seu código

Para o contribuinte individual a contribuição pode seguir alíquotas diferentes e consequentemente, tem códigos diferentes. Isto é, o percentual que o segurado vai pagar.

  • Na modalidade individual o contribuinte pode utilizar o código 1007 que corresponde a contribuição mensal de 20% sobre a renda. Essa modalidade assegura o contribuinte a receber praticamente todos os tipos de benefício.
  • Existe um meio do segurado realizar essa mesma contribuição de forma trimestral utilizando o código 1104, onde o segurado irá pagar o valor correspondente a três meses de contribuições.
  • Já o trabalhador rural que verte contribuições ao INSS deve optar pelo código 1287. Ou se verter contribuições trimestrais o código 1228. Também optando pela alíquota de 20%.
  • Contribuinte facultativo: descubra qual o seu código

    • O contribuinte facultativo deve verter a contribuição através do código 1406Ou se optar por contribuir trimestralmente pela mesma alíquota o código 1457,  quando pela alíquota de 20%.

    Depois, existe o formato de contribuição no plano simplificado. O que diferencia as duas modalidades é que o plano simplificado restringe o acesso a alguns benefícios, no caso o segurado que verte contribuições no plano simplificado não tem direito ao recebimento da aposentadoria por tempo de contribuição. Porém, há uma redução na alíquota de 11% sobre a renda.

    Esse tipo de plano é restrito exclusivamente à categoria de Contribuinte Individual, que trabalha por conta própria e não seja prestador de serviço à empresa ou equiparada, e também ao Facultativo, que é aquele que não exerce atividade.

    • Para o contribuinte individual o código de contribuição a ser adotado é o 1163 ou para quem deseja contribuir trimestralmente o código 1180.
    • O contribuinte individual na categoria rural deve optar por contribuir no código 1236 se mensal ou 1252 se trimestral.
    • Já para o contribuinte facultativo que optar pelo plano simplificado o código de contribuição é o 1473 se mensal ou o 1490 se trimestral.
    • Por fim, uma opção para o contribuinte facultativo que é considerado baixa renda é a contribuição com a aliquota de 5% no plano simplificado. Para tanto, o segurado não pode exercer atividade remunerada, pois como bem dito é destinado ao contribuinte facultativo. Além do mais, deve ter cadastro junto ao Cadastro Único de seu município e possuir renda familiar comprovada de até 2 salários mínimos. Neste caso, a contribuição a ser vertida deverá adotar o código 1929 se mensal ou 1937 se trimestral.

    Qual a importância da contribuição junto do INSS?

    Lembrando que a contribuição previdenciária é indispensável para qualquer benefício mantido pela Previdência Social e na dúvida se suas contribuições foram ou vem sido vertidas de forma correta existe a opção de através de um planejamento previdenciário realizar um estudo do seu caso. Onde é possível identificar possíveis falhas nas alíquotas ou códigos que foram contribuídos e estudar possibilidades como a complementação dos períodos.

    Fiquei com dúvidas sobre a contribuição do INSS e preciso de ajuda, o que posso fazer?

    Busque a ajuda de um profissional de sua confiança e especialista em Direito Previdenciário.

    Acreditamos que juntos somos muito mais fortes. Entre em contato conosco, nossa equipe previdenciária está disponível para lhe ajudar. Clique aqui e converse conosco.

    Não fique com dúvidas, defenda os seus direitos!

    Notícias Relacionadas

    Direito Previdenciário perícias

    Atenção: atestado virtual substituirá perícias médicas presenciais do INSS

    20/02/2024 | por Lucas Viana

    Recentemente, em entrevista ao SBT, o Ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, informou que, até junho deste ano, todas as perícias médicas do INSS serão realizadas virtualmente, através da inteligência artificial do sistema Atestmed. Esta mudança acontece sobre a análise para pedidos de benefícios por incapacidade, tal como o Auxílio-Doença e, também, de Benefício de […]

    Direito Previdenciário prev

    Alteração na legislação permite reduzir impostos no resgate do plano de Previdência Privada

    24/01/2024 | por Patrícia Peltz

    Sancionada no ultimo dia 10/01 a Lei 14.803 alterou o texto da Lei 1.053/2004, que determinava que a escolha do participante pelos regimes progressivo ou regressivo de tributação deveria ser feita até o último dia útil do mês subsequente ao ingresso no plano. A nova lei abre a possibilidade do participante escolher, até o primeiro […]